quarta-feira, 18 de maio de 2011

CAMPEÃO DA LIGA EUROPA

FICHA DO JOGO
(Clicar no quadro para ampliar)


JÁ VENCEMOS, JÁ VENCEMOS,
JÁ VENCEMOS OUTRA VEZ,
O PORTO JÁ TROUXE A TAÇA,
COMO EM 2003!
FALCAO, FALCAO,
TU VAIS MARCAR POR MIM,
SERÁS DRAGÃO,
ATÉ AO FIM!
Estes são os dois cânticos que melhor ilustram a final de Dublin que o FC Porto venceu, juntando ao seu palmarés mais uma Taça europeia.
Numa época que excede fortemente as expectativas, os Dragões, comandados pela revelação André Villas-Boas (o mais jovem treinador a vencer este Troféu), seguem imparáveis de vitória em vitória, gravando o seu nome na Taça da Liga Uefa, pela segunda vez.
Falcao foi o homem da noite ao apontar o golo solitário, acumulando o 17º golo e cimentando o recorde de golos marcados numa só época, nesta prova e destacando-se ainda mais no ranking portista dos melhores marcadores, de todos os tempos, nas provas europeias.
Helton merece também um destaque especial, ao garantir a vantagem, corrigindo uma fífia de Fernando que isolou Mossoró, que na cara do brasileiro permitiu a sua defesa, logo no início da segunda parte.

O jogo resumiu-se a três ou quatro momentos, de verdadeiro interesse. O resto foi uma pobreza franciscana muito por culpa do espartilho bracarense que pouco fez para chegar à vitória, mas também por falta de inspiração e ousadia do FC Porto, muito cauteloso, lento e previsível, preferindo controlar a arriscar. Um futebol muito táctico, de muito contacto, de pouca beleza. Enfim, uma má propaganda ao futebol português, capaz de muito melhor qualidade, de resto ao alcance de qualquer das equipas presentes.

A vitória portista foi indiscutível, porque marcou, criou mais uma ou duas oportunidades e dominou quase todo o tempo, à excepção dos últimos minutos em que o Braga recorreu ao desesperado chuveirinho.

No final, a festa azul e branca mais que previsível. 

Para terminar creio ser justo destacar a extrema correcção no convívio entre os adeptos, jogadores e dirigentes de ambos os clubes, demonstrando que a paz e os bons costumes são possíveis, quando se trata de gente civilizada.

4 comentários:

  1. Ganhámos, ganhámos, ganhámos! Mais uma vitória, mais uma (grande) alegria!
    O PORTO GANHOU OUTRA VEZ, COMO EM 2003!

    1) Grande lição de desportivismo entre adeptos do Braga e do Porto;
    1) Estou-me nas tintas para os outros, os aziagos (que não são bracarenses...);
    2) Eu vi o jogo na Sport TV. Amigos e pessoas conhecidas (alguns nem são portistas) disseram-me que a transmissão da SIC foi uma vergonha e teve uma cor (nítida): o vermelho! Estou-me marimbando para a SECA...

    Abraço. BIBÓ PORTO!

    ResponderEliminar
  2. somos mesmo grandes, enormes! ;)

    estou super feliz! e o melhor é que esta época ainda não terminou!! ;)

    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    saudações desportivas mas sempre pentacampeãs! ;)

    Miguel | Tomo I

    ResponderEliminar
  3. Umas, poucas, palavras sobre o jogo:
    Concordo que foi fraco e a exibição do F.C.Porto deixou a desejar. Fomos lentos, complicativos, fugimos ao nosso futebol natural, trocamos o conjunto pelo individualismo e quando é assim, não somos tão fortes. A jogada de James, já em tempo de descontos, quando em superioridade numérica, tinha Hulk e Falcao, sozinhos para passar e quis fazer tudo, foi paradigmática do que foi hoje o jogo do CAMPEÃO NACIONAL 2010/2011. Mas as finais são para ganhar e se nos lembrarmos do que aconteceu em 1984, em Basileia, frente à Juventus, onde fomos muito melhores e perdemos, passemos por cima da qualidade da nossa exibição e festejemos, festejemos muito, que, meus amigos, ninguém mais do que nós merece festejar.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Bom dia,

    Ontem vivi mais uma enorme alegria. Está é a 7º. título internacional (5º. europeu) conquistado pelo nosso Porto.

    Foi uma grande festa em Dublin, e uma grande festa por todo o País.

    O FC Porto venceu com inteira justiça. Tivemos 2 oportunidades claras de golo na primeira parte (remate rasante de Hulk e cabeçada de Varela) e o lance do golo da vitória.

    Na segunda parte o Braga dispôs da única oportunidade de golo, bem defendida por Helton, e nós ainda dispusemos de uma excelente oportunidade por Belluschi.

    O jogo do Braga enerva-me. São daquelas equipas à italiana. Meteram-se lá trás, com o GR Artur a passar tempo em cada reposição de bola, e sempre à espera de uma desatenção nossa, ou de uma transição rápida para marcar.

    Não me levem a mal, mas deste futebol de Domingos não gosto.

    Quanto às alegadas queixas do Braga ... são ridículas. E eu nem falo das cotovelas em Falcao, Hulk e Otamendi...

    Só mesmo para fazer jeito ao Braga, o árbitro daria amarelo a Sapunaru num lance normal de disputa de bola.
    O futebol é um jogo de contacto físico e Sapunaru dá 2 de Sílvio. O único grave erro do árbitro na minha opinião foi a não expulsão de Sílvio aquando da entrada perigosa a pés juntos sobre Hulk na primeira parte ... mas aceito o critério do árbitro, que não quis entrar pelo caminho das expulsões e percebeu que tinha o jogo na "mão".

    Agora vamos festejar. Hoje a equipa tem passagem marcada para os Aliados e para o Dragão, onde irá comemorar esta fantástica conquista com os adeptos.

    Domingo temos outra final ... e as finais são para vencer.

    Abraço e boa semana

    Paulo

    http://pronunciadodragao.blogspot.com

    ResponderEliminar